WannaCry: Tudo Que você precisa Saber A respeito do Ran

27 Nov 2018 12:53
Tags

Back to list of posts

[[image https://media.istockphoto.com/vectors/social-network-communication-isometric-concept-illustration-vector-id534976581"/>

<h1>Estilo Na Copa: Cariocas Se Inspiram Na Sele&ccedil;&atilde;o Brasileira Para Formar Adere&ccedil;os E Lan&ccedil;ar Moda</h1>

<p>Independentemente da distribui&ccedil;&atilde;o Linux que voc&ecirc; tenha escolhido pro seu servidor ser, Debian/Ubuntu ou CentOS, o UNIX, por pequeno dos panos, ser&aacute; bem similar, assim como este o OSx do teu Mac. E isso &eacute; uma coisa sensacional, porque &eacute; poss&iacute;vel compilar uma s&eacute;rie de dicas que podemos usar para simplificar nosso dia a dia na administra&ccedil;&atilde;o desses sistemas.</p>

<p>A todo o momento que voc&ecirc; tiver d&uacute;vidas a respeito de quais as op&ccedil;&otilde;es de tal comando, digite —help pela frente do comando (ex.:tail —help), e ser&atilde;o mostradas todas as op&ccedil;&otilde;es e, caso precise de mais aux&iacute;lio, visualize o manual, digitando man (ex.: man tail). Seja apt-get ou yum, no momento em que quisermos instalar um pacote yum install ou apt-get install seremos perguntados se “temos certeza” de que desejamos instalar.</p>
<ol>
<li>Ganhar&aacute; mais for&ccedil;a em 2014 por ser um ano de elei&ccedil;&otilde;es</li>
<li>27 de janeiro de 2016 &agrave;s 12:Vinte e um</li>
<li>Escolha quais temas voc&ecirc; vai trabalhar no web site baseando-se nessas palavras-chave</li>
<li>3 Seja moderador de uma pagina</li>
</ol>

<p>Assim como tem &ecirc;xito com o remove. Voc&ecirc; neste instante tem que ter alguma experi&ecirc;ncia com UNIX e sabe que o comando ls &eacute; respons&aacute;vel por listar arquivos e diret&oacute;rios, mas, ele n&atilde;o mostra arquivos ocultos nem maiores sugest&otilde;es, como as permiss&otilde;es ou quem &eacute; o dono daquele arquivo. Com o comando ls -l, listamos essas sugest&otilde;es a mais, mas se quisermos acompanhar os arquivos ocultos, assim como, temos que da flag -a, ficando ls -la.</p>

<p>Publicar 4 letras e um h&iacute;fen podes n&atilde;o parecer amplo coisa. Mas e se reduzirmos esse interesse para somente duas letras mais simples de ser alcan&ccedil;adas no teclado, como ll e la? O comando alias existe exatamente pra essa finalidade. O &uacute;nico todavia &eacute; que perderemos essa customiza&ccedil;&atilde;o no momento em que o terminal for reiniciado.</p>

<p>Dica r&aacute;pida: se voc&ecirc; digitar apenas 1s,ll ou algum outro atalho personalizado que voc&ecirc; criou, vai listar o tema do diret&oacute;rio atual. Portanto, eu consigo ver o que tem dentro de /var/www sem precisar sair de onde eu estava. Gerenciar um servidor est&aacute; ligado diretamente a apreender como ele est&aacute; se comportando e como as aplica&ccedil;&otilde;es que est&atilde;o rodando nele est&atilde;o respondendo ou retornando erros.</p>

<p>Saber como ler ou debugar bem um log de erros poder&aacute; ser de extenso aux&iacute;lio para ti. O comando tail sozinho funciona como o cat − s&oacute; mostra o assunto de certo arquivo (no entanto que o tail se limita a declarar apenas as &uacute;ltimas linhas desse arquivo, no tempo em que o cat joga pro output todo o arquivo). O tail det&eacute;m uma op&ccedil;&atilde;o bem envolvente, que lhe permite “escutar” as altera&ccedil;&otilde;es em um arquivo, revelando em tempo real qualquer adi&ccedil;&atilde;o de assunto. Toda vez que uma pessoa acessa o teu blog, &eacute; gravada uma entrada no access.log do servidor internet. Fa&ccedil;a um teste: deixe uma aba do terminal com o comando acima e acesse qualquer URL da sua aplica&ccedil;&atilde;o. Instantaneamente, vai aparecer no terminal o registro de tua visita.</p>

<p>Lembra que eu falei sobre interpretar bem um log? Para isso, carecemos ser capazes de achar infos no nosso log. Sabemos que o cat mostra pela tela todo o assunto de certo arquivo, contudo, e se quisermos observar apenas correto modelo? Por exemplo, num arquivo de erros do Apache quisermos ver somente os erros que tal IP viu?</p>

<p>Logicamente, trocando o IP ali. Desta forma, no momento em que o grep encontrar o padr&atilde;o que voc&ecirc; pediu, ele ser&aacute; apresentado “colorido” na tela, facilitando a visualiza&ccedil;&atilde;o do que foi procurado. Deletar um arquivo &eacute; acess&iacute;vel. Basta usar rm ou rm -r pra diret&oacute;rios. Mas e se quisermos reduzir apenas o assunto daquele arquivo, sem deletar o arquivo? Sonhe um log ou um script de centenas de linhas. Entrar no arquivo, selecionar tudo com o vim e eliminar n&atilde;o &eacute; nada pr&aacute;tico. Com o echo -n estamos escrevendo um “vazio” sem “nova linha” dentro do arquivo. Desta forma escrevemos dentro do arquivo sem pelo menos abri-lo com o vim.</p>

<p>O novo texto ser&aacute; adicionado depois da &uacute;ltima linha do arquivo. Okay, desenvolver diret&oacute;rios &eacute; descomplicado, basta um mkdir , mas e se precisarmos formar imensos diret&oacute;rios encaixados? O que &eacute; bastante chato, uma vez que pra cada novo diret&oacute;rio filho temos de estar dentro do pai dele antes de usar o mkdir de novo. O que &eacute; bastante chato! Ainda bem que existe o comando yes.</p>

<p>O diret&oacute;rio .git ser&aacute; apagado sem nenhuma confirma&ccedil;&atilde;o manual nossa. Muitas vezes, precisamos executar incont&aacute;veis comandos ou atravessar para um colega de servi&ccedil;o, e enviar v&aacute;rias linhas &eacute; um tanto demorado. Podemos “concatenar” comandos para serem executados com uma &uacute;nica linha, utilizando o operador &amp;&amp;. Desde que o comando anterior diga alguma coisa contr&aacute;rio de errado, o pr&oacute;ximo comando ser&aacute; executado.</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License